Colunistas

Os biomédicos e a política nacional

 

DR. DÁCIO EDUARDO LEANDRO CAMPOS

Presidente do CRBM – 1ª Região, Diretor da FAAP – Ribeirão Preto-SP “Os biomédicos e a política nacional”
[email protected]

Os biomédicos mais antigos, aqueles que viveram a maratona infernal que foi a época da regularização da profissão, tem motivos de sobra para ficarem ressabiados com a composição do congresso nacional. Com o projeto do governo (MEC, Saúde, Trabalho), em plena ditadura, os biomédicos foram os únicos não contemplados na Câmara dos Deputados, por conta da corrupção e fisiologismo que ocupava aquele espaço. Foram anos de luta, em que os já formados tinham que pagar para que outros profissionais assinassem laudos como responsáveis técnicos pelos exames que, nós biomédicos, fazíamos. A justiça, por 11 a 0, no STJ, corrigiu os equívocos do congresso nacional, que só não foram maiores por causa da intervenção do então Senador Jarbas Passarinho. O governo se submete a baixaria política. Estamos vivendo um novo período eleitoral novamente conturbado pela ação de outros políticos também envolvidos em corrupção e desconhecimento da causa pública. Com uma das mais novas profissões da área da saúde, a biomedicina ainda não está consolidada na política nacional como acontece com outras profissões. Precisamos de representatividade. Temos que ter o bom senso e o desprendimento para conseguirmos o compromisso com candidatos que se comprometam com as nossas demandas e causas. Só assim a classe vai ter direito a participar de concursos públicos e de ocupar cargos de relevância na administração pública em todos os setores para os quais estiverem habilitados e capacitados. Profissionais e acadêmicos da biomedicina devem caminhar juntos com seus órgãos representativos sejam os conselhos, associações, sindicatos, para tomarem conhecimento das ações dos parlamentares que podem atuar em prol da categoria. Sem este estimulo, depois não adianta chorar! Além desta preocupação os órgãos da biomedicina estão ocupados em manter a carga horária dos cursos de biomedicina, qualificar os profissionais, promover os títulos de especialista e capacitar profissionais para o mercado de trabalho. E, na véspera das eleições deste ano faremos acontecer o nosso XVI Congresso Brasileiro de Biomedicina, em São Paulo, de 05 a 08 de setembro. É importante que todos participem, prestigiando a categoria e fazendo crescer sua importância.
Saudações biomédicas.

Mostre mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Close
Close