Colunistas

Por que precisamos exercitar o cérebro?

 

MARIA DE LOURDES PIRES NASCIMENTO, MD

Hematologista, Universidade Federal da Bahia / UFBA
[email protected]

As Neutrofinas são moléculas produzidas pelas Células do Cérebro – os Neurônios – que ajudam a manter estas Células Saudáveis. Quanto mais ativos estão os Neurônios, maior quantidade de Neutrofinas eles produzem, porque são estas substâncias que fazem as conexões entre as diversas áreas cerebrais. O Neurônio tem vários prolongamentos – são os Dendritos – e são estes que atuam na recepção e na transmissão dos estímulos nervosos do meio ambiente, ou entre outros neurônios, dando condições para que estes estímulos cheguem ao corpo.
Podemos ter pequenos esquecimentos, em qualquer idade, mas muitas vezes eles se tornam mais evidentes na Terceira Idade. Os neurocientistas têm comprovado que a perda de memória a curto prazo, não está relacionada com a idade nem com a morte dos Neurônios, mas sim com a diminuição do número de conexões nervosas, muitas vezes por diminuição da produção das Neurotrofinas, que são as substâncias que ajudam a manter as células nervosas saudáveis. Quanto mais ativas estiverem as Células Nervosas, maior quantidade de Neutrofinas elas produzem, gerando mais conexões entre as áreas cerebrais.
Geralmente a vida de muitas pessoas converte-se em uma série de rotinas das nossas ações, são atividades que se tornam inconscientes, fazendo com que as células do cérebro funcionem de modo automático, consequentemente requerendo o mínimo de Neutrofinas. Precisamos exercitar os nossos Neurônios, saindo da nossa rotina, tendo situações novas, através também das emoções, do olfato, da visão, do tato, do paladar e da audição. Quando fugimos do sedentarismo estamos beneficiando não apenas a parte motora do nosso corpo, mas também a parte mental. Quando estamos atentos e concentrados ao fazer determinados exercícios físicos, o pensamento focado faz com que a mente perceba e oriente o corpo, sendo uma atividade que também estimula os Neurônios a conduzirem melhor o corpo. Os estímulos para o cérebro devem ser feitos com diferentes atividades, desde quando eles sejam feitos com atenção e concentração, tais como: leitura, musica, palavras cruzadas, exercícios físicos, usar para algumas atividades a mão não dominante em vez da mão dominante (ex.: comer, escrever, abrir portas, escovar os dentes, etc.), ler em voz alta, trocar a posição de alguns objetos, aprender alguma habilidade desconhecida (ex. pintar, costurar, fotografar, etc.), identificar objetos através do tato, etc. Quando as conexões neurais não são usadas elas acabam sendo desfeitas, porque se tornaram desnecessárias. Treinar o cérebro é deixá-lo mais eficiente, pois um cérebro preguiçoso acaba apresentando saídas menos adequadas, muitas vezes dificultando a solução da complexidade dos nossos problemas, consequentemente comprometendo a nossa felicidade (1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10).

Mostre mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Close
Close