As plaquetas: “precisam ser mais observadas?”


As Plaquetas são as segundas células mais numerosas no sangue circulante, cujos valores em geral são: 10 Hemácias (3.900.000 a 4.000.000/ mm3), 20 Plaquetas (150.000 a 450.000/mm3) e 30 Leucócitos (4.000 a 11.000/mm3). Em todos os processos que os Leucócitos e as Hemácias estão “tendo atuações”, as Plaquetas também estão participando, e em algumas situações, antecipadamente pode-se identificar os seus comprometimentos, porque: a) Plaquetas, Hemácias e Leucócitos tem origem de u’a mesma célula, é a Stem Cell, que está na medula dos ossos, sendo também denominada de Célula Tronco Hematopoiética; b)

Diversos fatores do organismo participam da Hematopoiese, que é a geração das células sanguíneas. Nas estimulações durante a Hematopoiese, a Plaqueta também estará incluída quando existir alguma deficiência. De modo sintético os principais setores do organismo que participam da Hematopoiese são: Intestino que absorve os nutrientes, Fígado que sintetiza proteínas, lípidas, etc., além de também produzir a Trombopoietina que é um dos principais estimulantes para fabricação das Plaquetas, os Rins também produzem Trombopoietina, Baço em condições normais retém 2/3 das Plaquetas produzidas na medula óssea, sendo que normalmente somente 1/3 das Plaquetas é que estará na circulação sanguínea.

Diversas deficiências (que não são raras) quando presentes, comprometem as 3 células sanguíneas, ex.: A) Ferro: Hemácias hipocromicas e microcíticas, Leucócitos com diminuição funcional dos Neutrófilos, Linfócitos e Monócitos “favorecendo” a presença das infecções, Plaquetas com um número diminuído no sangue circulante (Trombocitopenia) e ou o número aumentado (Trombocitose Reativa). B) Ácido Fólico, as hemácias se tornam macrocíticas, os neutrófilos ficam polisegmentados e as plaquetas com diminuição do número que é a Trombocitopenia. C) As Deficiências Proteicocalóricas que inibem a adesão e agregação das Plaquetas, diminuem as respostas imunológicas dos Leucócitos e interferem na deformabilidade das Hemácias.

Entre Plaquetas, Hemácias e Leucócitos existe normalmente uma interação durante as suas atividades, tais como: A) Plaquetas “auxiliando” os Leucócitos, porque as Plaquetas têm várias moléculas receptoras capazes de sensibilizar os patógenos, existindo um intenso intercâmbio para o início das respostas da Imunidade Adaptativa que inclui Neutrófilos, Monócitos, Macrófagos e Linfócitos. B) Hemácias “estimulando” Plaquetas: a modificação na morfologia das Hemácias circulantes (que são evidenciadas através dos resultados do VGMuu3 e do RDW) influenciam o transporte das Plaquetas, e assim as Hemácias também modulam bioquimicamente a capacidade de resposta das Plaquetas, depois que elas estão ativadas. C) Leucócitos “estimulam” as Plaquetas: o Fator de Ativação Plaquetário (FAP) é um mediador químico, produzido e liberado por membranas de Neutrófilos, Monócitos, Basófilos, Células Endoteliais, que estimulam a agregação das Plaquetas.

Um fato “muito conhecido” sobre o resultado da presença e atuação das Plaquetas com os Leucócitos é quando os pequenos vasos (Vênulas e Arteríolas) são lesados (ex.: picada de insetos), a adesão no endotélio e a agregação de Neutrófilos/ Plaquetas e Monócitos/Plaquetas, Hemácias/ Plaquetas faz surgir o aparecimento das erupções cutâneas que frequentemente são referidas em diversas Viroses, sendo denominadas de pápulas, petequeias, púrpuras, exantema, rush cutâneo.

O exame Plaquetário que têm avaliações correlatas as avaliações do Eritrograma é o Plaquetograma, este é um exame cujos resultados, somente passaram a ser emitidos na rotina, depois da existência dos equipamentos hematológicos por automação. O Plaquetograma é constituído das seguintes avaliações: Contagem Global das Plaquetas (Plt/mm3), Volume Plaquetário Médio (VPM uu3), Índice de variação dos Volumes Plaquetários (PDW) e Plaquetócrito (Ptc %).

O Plaquetograma é um exame regular, que deve ser liberado, nos resultados do Hemograma, toda vez que também se faz um Eritrograma e um Leucograma, pois o Plaquetograma está incluído na solicitação de um Hemograma (que significa avaliação das células sanguíneas). Quando se solicita um Hemograma é necessário que o Plaquetograma seja liberado, observado e interpretado junto com as interpretações dos resultados do Eritrograma e do Leucograma (1, 2, 3, 4, 5, 6).

 

Referências: 

1) Nascimento MLP. A interação entre as células hematológicas durante as suas atividades. Artigo de Revisão. Revista Newslab. Ano 2017. https://www.newslab. com.br/wp-content/uplpads/2017/12 2) Nascimento MLP, Santos MFB, Souza RBS. Atuação das Plaquetas em algumas infecções parasitarias, Ano 2017. https://newslab.com.br/artigo-atuacao-das- -plaquetas-em-algumas-infeccoes-parasitarias-artigo-de-revisao/ 3) Chiara C, Giovanni G, Lorenzet R. Platelet-Leukocyte Interactions: multiple links between inflammation, Blood coagulation and vascular risk. Mediterr J Haematol Infect Dis. 2 (3): e2010023, 2010. 4) Lam FW, Vijayan KV, Rumbaut RE. Platelets an their interactions with other imune cells. Compr Physiol. 5 (3): 1265-1280, 2015. 5) White JG. Why human platelets fail to kill bacteria. Platelets 17 (3): 191-200, 2006. 6) White JG. Platelets are covercytes, not phagocytes: uptake of bactéria involves channels of the open canalicular system.Platelets. 16: 121-131, 2005

NOSSOS PARCEIROS