Cobalamina e seu papel no sistema nervoso


Por Daniel Margoni*

O cobalto é um mineral essencial para a saúde humana, uma vez que é componente importante da estrutura da vitamina B12, também conhecida como cobalamina. Esta vitamina é primordial na manutenção de diversos processos metabólicos no organismo, tais como a redução dos níveis de homocisteína plasmática, metabolismo de lipídeos e carboidratos, síntese de DNA e RNA e ainda, indispensável para a formação e maturação das células vermelhas do sangue.

Para adquirirmos esta vitamina tão importante, é necessária a ingestão de alimentos de origem animal, já que espécies ruminantes (como a vaca, cabra e ovelha) são capazes de produzir sua própria vitamina B12 através da síntese bacteriana em seu organismo. Entretanto, a disponibilidade de B12 nos mesmos depende diretamente da disponibilidade de cobalto no solo. Isto é, sem o substrato necessário que deve ser obtido por meio da dieta dos ruminantes, as bactérias não são capazes de realizar a síntese do nutriente e consequentemente, suas quantidades nos tecidos animais tendem a ser menores. Além da ruminação, outra forma de incorporação da cobalamina em tecidos animais é a partir da ingestão de alimentos contaminados.

Apesar da deficiência isolada de cobalto não ser descrita historicamente em humanos, pois o elemento por si só não desempenha funções específicas no organismo; a deficiência de B12 gera desdobramentos significativos à saúde. Alterações gastrointestinais, anemia, manifestações psíquicas e neurológicas são consequências importantes associadas a baixos níveis de cobalamina.

Em especial, as implicações relacionadas ao sistema nervoso estão diretamente ligadas com o aumento de homocisteína plasmática e, ao contrário da anemia, são consideradas sinais tardios da deficiência. Nos casos de déficit crônico, estas manifestações podem vir a ocasionar danos neurais irreversíveis.

A carência de cobalamina pode favorecer o processo de desmielinização neuronal e promover lesões progressivas do sistema nervoso central e periférico. São comuns relatos de déficits de memória, disfunções cognitivas, demência e transtornos depressivos. Acredita-se que indivíduos com deficiência de B12 possuam 70% mais probabilidade de desenvolver quadros de depressão grave do que indivíduos sem a deficiência. Alguns estudos sugerem inclusive que a cobalamina poderia ser utilizada como uma forma de tratamento para a doença e melhora dos sintomas.

O aumento de homocisteína plasmática ocasionado pelo quadro também pode culminar em maior risco para doenças cardiovasculares, como a aterosclerose e acidente vascular cerebral, ressaltando ainda mais a influência do nutriente na saúde humana.

Por isso, manter uma dieta equilibrada e que forneça todo o aporte nutricional necessário, principalmente de B12, é fundamental na manutenção de uma boa saúde em todos os seus aspectos. De acordo com o Institute of Medicine, a recomendação de ingestão diária de B12 para adultos a partir de 19 anos é de 2,4 µg, podendo ser facilmente alcançada por meio do consumo de alimentos fontes, que incluem carnes, peixes, ovos, leites e derivados. A fertilização do solo com cobalto é o caminho para disponibilizar o nutriente para os vegetais e, assim, manter os alimentos supridos deste nutriente. É adubando o solo que podemos fornecer alimentos nutritivos e balanceados.

• Daniel Magnoni, consultor da iniciativa Nutrientes para a Vida (NPV), diretor de Serviço de Nutrologia e Nutrição Clínica do Hospital do Coração – Hcor, Mestre em cardiologia pela Universidade Federal de São Paulo – UNIFESP; especializado ainda em Clínica Médica, Nutrologia e Nutrição Parenteral e Enteral pela Associação Médica Brasileira – AMB / Conselho Federal de Medicina – CFM

Nutrientes para a Vida

Todo ser vivo necessita de nutrientes. Eles são incorporados ao seu metabolismo para manter o ciclo vital. Portanto, as plantas também precisam de nutrientes e é justamente nos fertilizantes que eles se encontram.

É para garantir que as plantas recebam todos os elementos essenciais a seu bom desenvolvimento, habilitando-se assim, para a produção de culturas de fato saudáveis para a alimentação humana que a Iniciativa Nutrientes para a Vida (NPV) trabalha ininterruptamente. Sua missão é esclarecer a sociedade brasileira, com base em estudos científicos, sobre a importância e os benefícios dos fertilizantes na produção e qualidade dos alimentos bem como sua utilização adequada.

A NPV é uma extensão nacional do projeto Nutrients For Life, que já colhe importantes frutos em outros países, como Estados Unidos, onde nasceu, Canadá, México e Colômbia. Destaca o papel essencial dos diversos tipos de fertilizantes na segurança alimentar e nutricional, além de seu efeito multiplicador na produtividade de culturas.

Referências

Cracan V, Banerjee R. Cobalt and corrinoid transport and biochemistry. Met Ions Life Sci. 2013; 12:333-374.
Vannucchi H, Monteiro TH, Takeuchi PL. Funções Plenamente Reconhecidas de Nutrientes: Cobalamina. São Paulo: International Life Sciences Institute do Brasil, 2017.
Crane MG, Sample C, Patchett S, Register UD. Vitamin B12Studies in Toal Vegetarians (Vegans). Journal of Nutritional Medicine. 1994; 4(4): 419–430.
Dantas CCO, Negrão FM. Funções e sintomas de deficiência dos minerais essenciais utilizados para suplementação dos bovinos de corte. UNICiências. 2010; 14 (2): 199-223.
Mafra D, Cozzolino SMF. Vitamina B12 (Cobalamina). In: Cozzolino SMF.
Biodisponibilidade de nutrientes. 5ºed. Barueri, SP: Manole, 2016. P.529- 541. Paniz C, Grotto D, Schmitt GC, Valentini J, Schott KL, Pomblum VJ et al. Fisiopatologia da deficiência de vitamina B12 e seu diagnóstico laboratorial. Bras Patol Med Lab. 2005; 41 (5): 323-334.
Kumar N. Neurologic aspects of cobalamin (B12) deficiency. Handb Clin Neurol. 2014; 120: 915-926.