O “novo normal”


Com a rápida evolução da pandemia, o entendimento imunológico relacionado à resposta viral ainda não foi completamente esclarecido. Esse conhecimento é de alta relevância para a compreensão da resposta imune e patogênese da infecção pelo SARS-CoV-2, bem como para definição de futuras medidas de controle da pandemia e para avaliação das estratégias vacinais. Estas que já estão sendo ansiosamente esperadas por todos. Neste momento, o diagnóstico laboratorial passou a ser o foco de atenção das autoridades, dos profissionais de saúde, da mídia e da população.

E pela premência da testagem para avaliação e controle da pandemia, o registro dos testes diagnósticos para COVID-19 foi acelerado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Em um procedimento padrão, um registro no Brasil demoraria por volta de 3 meses, tempo este que seria inviável para implantação rápida da testagem no país. Em poucas semanas centenas de kits chegaram ao nosso mercado.

Cada laboratório no país em acordo com as boas práticas deve estabelecer uma estratégia de validação dos testes que serão oferecidos à população. Tendo em vista a preocupação com a qualidade dos diferentes produtos diagnósticos registrados, a validação dos testes com amostras conhecidas (verdadeiramente negativas e positivas) é um ponto fundamental para avaliar o desempenho do kit comercial; o que não é viável/acessível a todos os laboratórios do país e especialmente para outros estabelecimentos como as farmácias, que foram incluídas no processo pela Anvisa para ampliar o acesso.

O novo normal requer adaptabilidade e agilidade, estas características que Sociedade Brasileira de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial (SBPC/ML) buscou e continua buscando desde o início desta pandemia. Contudo, não podemos abrir mão da qualidade. Por isso, a SBPC/ML liderou uma iniciativa no setor, em conjunto com outras entidades de classes (Sociedade Brasileira de Análises Clínicas - SBAC, Associação Brasileira de Medicina Diagnóstica - Abramed e a Câmara Brasileira de Diagnóstico Laboratorial - CBDL) para validar os testes e orientar os profissionais sobre o seu uso. Dr. Alvaro Pulchinelli, diretor científico da SBPC/ ML foi o responsável técnico pelo projeto, que já traz frutos e transparência para todos os interessados.

O novo normal exigiu de nós mais mobilidade para migrarmos rapidamente dos eventos presenciais para os eventos e auditorias à distância; até que a epidemia seja controlada e possamos voltar a realizar nossos exímios eventos corpo a corpo. E com este propósito, o Diretor de Acreditação e Qualidade, Dr. Guilherme Ferreira de Oliveira, inovou ao entender que as auditorias do PALC – Programa de Acreditação de Qualidade da SBPC/ML não podiam parar e está transferindo todos processos para que os mesmos ocorram de forma on-line.

Da mesma maneira, o nosso Diretor de Ensino, Dr. Leonardo de Souza Vasconcellos, em tempo recorde, estruturou a grade científica para o 1° Congresso Virtual da SBPC/ML, focado na pandemia COVID-19. Com a percepção acurada sobre as dúvidas 

NOSSOS PARCEIROS