PORQUE O INTESTINO É CONSIDERADO NOSSO SEGUNDO CÉREBRO?

*Diogo Christofoli


Muitas pessoas já ouviram falar que o intestino é nosso segundo cérebro, mas você sabe por que? Será que é por causa das dobrinhas que são parecidas? E qual a ligação entre o fisioterapeuta e o seu intestino?

Na verdade, existem algumas curiosidades que confirmam esta afirmação.

O intestino tem uma barreira chamada GALT (gut-associated lymphoid tissue), como se fosse uma espécie de proteção para que substâncias nocivas ao organismo não "invadam" o nosso meio interno. Já o nosso cérebro também tem uma barreira, chamada Barreira Hematoencefálica, que tem como objetivo proteger o Sistema Nervoso Central de substâncias químicas presentes no sangue. Essas duas barreiras são de espessuras parecidas. Portanto, qualquer alteração intestinal que resulta em uma pequena inflamação pode "irritar" essa parede deixando-a “vulnerável", gerando uma inflamação de baixo grau no corpo. Isso ocorre de maneira lenta e progressiva através de diversos fatores, um deles é o hábito alimentar não saudável. Uma vez o organismo inflamado, tudo que está ligado as inflamações podem aparecer, por exemplo: Dores articulares, dores musculares, doenças autoimunes, alergias e inúmeros outros sintomas, e tudo por uma origem INTESTINAL. Através de uma rica anamnese, conseguimos saber se existe inflamação originada nos intestinos e assim conseguimos através de uma terapia manual, reeducação alimentar e mudança de hábitos uma modulação intestinal que diminuirá MUITO essa inflamação. Por isso a doença que te gera dor, pode ser originada (muito provavelmente) de uma inflamação intestinal.

CURIOSIDADE: Você sabia que se pegarmos todas as bactérias presentes nos intestinos e pesarmos, o peso dará por volta de 2,5kg. O mesmo peso de um cérebro!!! Mais um motivo pra dizermos que temos sim um segundo cérebro!!

A fisioterapia integrativa pode te ajudar a trazer um bom funcionamento deste órgão tão importante e pouco lembrado por nós.

Ainda justificando o por que ele é nosso segundo ou primeiro cérebro, o intestino tem o seu próprio sistema nervoso: o Sistema Nervoso Entérico! Esse sistema é capaz de agir de forma independente com relação ao cérebro. Cerca de 80% da nossa imunidade vem dos intestinos, além de uma surpreendente produção hormonal.

Quase 90% da produção de Serotonina e 50% de Dopamina acontecem no sistema entérico.

Estes hormônios são conhecidos pela sensação de bem-estar. A Serotonina tem uma função muito importante no ciclo circadiano, é ele que controla sono e vigília, ou seja, se pensarmos em distúrbios de sono, também devemos ficar atentos a produção desse hormônio.

Já a Dopamina, além de ter uma função de controle do nosso movimento, é responsável pelas nossas expectativas de vida, por exemplo: as boas expectativas, os nossos planos futuros.

Essa ligação entre cérebro e intestino se torna possível por conta do Nervo Vago. O maior nervo craniano que temos faz um papel primordial no controle do nosso Sistema Nervoso Parassimpático, que atua diretamente nos intestinos e no nosso Sistema Nervoso Central, com uma função de relaxamento.

Este tema renderia muitos textos, mas acredito que foi o suficiente pra entendermos a importância deles pro nosso bem-estar e nossa evolução pra remissão de uma doença inflamatória. Iniciar o tratamento dessas doenças focando na saúde intestinal é um tiro certeiro que a fisioterapia integrativa dar certo

Sobre Diogo Christofoli - Diogo atua há 11 anos em atendimento clínico como fisioterapeuta na região do grande ABC, na capital paulista e na cidade de Rio das Pedras. Formado pela Universidade Metodista conta com especializações internacionais em microfisioterapia e leitura biológica (medicina germânica), além de ser pós-graduado em acupuntura e disfunções musculoesqueléticas. O fisioterapeuta sempre participa de congressos e atualmente está cursando uma formação em fisioterapia integrativa.

Desde 2011 vem trabalhando com seus pacientes no tratamento através da microfisioterapia, onde obtém respostas muitos positiva no tratamento de algumas patologias relatados por eles. Também trabalha, como citado acima, com acupuntura e com a fisioterapia integrativa, que auxiliam no tratamento da microfisioterapia tornando p organismo mais funcional.