Telelaboratório: já é uma realidade?


Muito foi falado sobre telemedicina nos últimos anos. Regulação, acesso, tecnologia, custo, autonomia, ética e mercado...muitos pontos polêmicos foram discutidos e muito se avançou para que esta tecnologia seja mais uma aliada no auxílio ao diagnóstico. É claro que a chegada do novo coronavírus acelerou todo este processo de regulamentação e em abril de 2020 foi sancionada a lei número 13.989/20 que autoriza as teleconsultas no país durante o período da pandemia. E o tele laboratório, onde estamos?

As discussões começaram e devem avançar para que possamos regulamentar a utilização da tecnologia em diferentes processos do exame laboratorial. Como por exemplo: consultorias (médica e indústria), digitalização de lâminas em microbiologia, digitalização de lâminas em hematologia (hemograma e mielograma), avaliações de imagens captadas (placas de microbiologia, tubos, frascos, gráficos; entre outras) e também em tempo real (tromboelastometria). Em todas estas frentes existem diferentes aplicações: ensino, pesquisa e assistência (laudos) e processos para garantia da qualidade (controles interno e externo da qualidade). Muitas destas ferramentas já estão sendo utilizadas na prática laboratorial – algumas já mais sedimentadas outras ainda em fase de amadurecimento. Porém ainda sem uma regulação específica determinando as diferentes aplicações e definindo também uma infraestrutura tecnológica mínima para sua utilização.

Para avançarmos com esta discussão a Sociedade Brasileira de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial - SPBC/ML deve capitanear agora neste segundo semestre um board de especialistas para destrinchar todos os pontos importantes e polêmicos sobre o Telelaboratório e a partir daí publicar e encaminhar uma regulamentação da utilização desta tecnologia nos laboratórios do país.

Enquanto isso a pandemia continua e a disseminação das novas cepas avança mundo a fora, em uma velocidade muito grande. A esperança se encontra com o avanço da vacinação em todos os países. Para os laboratórios do país os desafios continuam com a realização dos testes de detecção direta e indireta do vírus; contribuindo para o controle da pandemia.

Continuem respeitando as medidas de proteção e se mantenham focados, acompanhando as notícias, eventos científicos e publicações para que em futuro próximo possamos resgatar um pouco das atividades pré-pandêmicas. Aproveitem para se atualizarem com o nosso 2° Congresso Virtual SBPC/ML, que acontece de 9 a 11 de setembro. Mais informações na página do congresso: congressovirtual.sbpc.org.br

NOSSOS PARCEIROS