As mudanças e o laboratório


Heráclito de Éfeso, pensador grego, disse em 540 AC que “Nada é permanente, exceto a mudança”. Portanto, as mudanças que estamos enfrentando no dia a dia, e que têm impactado fortemente as empresas e a sociedade, não são nenhuma novidade. O novo é a velocidade com a qual essas mudanças estão ocorrendo.

O processo de mudanças tem um pequeno período no qual podemos tentar influir para que ocorram na perspectiva que desejamos. Porém, uma vez que essas mudanças estejam estabelecidas, o mercado não costuma mais perguntar nossa opinião sobre elas. Assim, simplesmente criticar as novas tecnologias, os novos processos, as novas estratégias, etc., é perder tempo. O importante é estar atento e, o máximo possível, buscar o nosso espaço dentro deste novo cenário que se apresenta.

“Se não esperas o inesperado, não o reconhecerás quando chegar”

A área laboratorial está convivendo, como nunca, com uma imensa quantidade de novas metodologias, equipamentos, conhecimentos, conceitos de qualidade e exigências regulatórias, numa contínua e crescente transformação. O laboratório de hoje não é igual ao de ontem e o laboratório de amanhã não será igual ao de hoje. Por isso, apesar do diploma universitário ser uma habilitação legal que não necessita de renovação, os conhecimentos adquiridos à época da diplomação precisam ser constantemente atualizados.

Charles Darwin dizia: “Não é o mais forte da espécie que sobrevive, nem o mais inteligente. É aquele que melhor se adapta a mudanças”. Da mesma forma, podemos inferir que a atualização de uma instituição depende de sua capacidade de se transformar continuamente, absorvendo e incorporando inovações. E, para tanto, precisa contar com um quadro de pessoas comprometidas com as mudanças.

O mercado não tem mais espaço para empresas defasadas em relação ao novo e amarradas ao “sempre fiz assim e deu certo”. Muito se diz que as pessoas resistem às mudanças, afinal, fazer sempre igual dá mais segurança e tranquilidade. No entanto, quando estas pessoas percebem que fazer diferente é melhor para elas e para a instituição para a qual trabalham, se tornam grandes aliadas das mudanças. Inovações não indicam que o que se faz está errado, mas que é possível fazer melhor.

Ao adquirir um equipamento de alta tecnologia estaremos obtendo uma ferramenta de excelente qualidade, mas este equipamento só terá desempenho adequado se for bem montado, calibrado, operado, controlado e mantido. Quem realiza isto são pessoas e, portanto, a qualidade do laboratório depende de pessoas. Por isso, investir em treinamento é um caminho sem volta, e o único capaz de melhorar e preservar a qualidade.

“Ninguém sabe tudo”, assim como “ninguém sabe nada”: todos sabem alguma coisa. As melhores equipes não são as formadas por pessoas iguais, mas as compostas por pessoas diferentes que possuem objetivos iguais. Com o campeonato do mercado em realização, precisamos formar nossas melhores equipes. O grande desafio de um bom gestor é identificar o que cada um sabe de melhor, treinar os colaboradores e, por fim, colocar as pessoas certas nos lugares certos.