Profissionais e estudantes da saúde discutem novos critérios para realização do antibiograma

Evento foi realizado em parceria com Centro Universitário Barão de Mauá, em Ribeirão Preto, e contou com apoio da Laborclin, Décio Camargo e Welldone Assistência Laboratórial


Cerca de 150 pessoas entre profissionais da biomedicina e estudantes do Centro Universitário Barão de Mauá, em Ribeirão Preto, participaram na última sexta-feira, dia 26, do workshop “Novos critérios para realização do antibiograma”, promovido na Instituição. A palestrante Schelley Medeiros, assessora científica da Laborclin Produtos para laboratórios, explicou que o Ministério da Saúde, através da portaria 64 de 11 de dezembro de 2018, normatizou os procedimentos e as empresas têm um ano para se adequar. “Ainda é tudo muito novo. Mas a principal mudança nos procedimentos vai alterar diretamente os critérios interpretativos dos exames”, ressaltou.

O antibiograma é uma técnica destinada à determinação da sensibilidade bacteriana “in vitro” frente a agentes antimicrobaterianos conhecido por TSA (teste de sensibilidade a antimicrobianos), ou seja, é um exame capaz de determinar a sensibilidade da bateria aos antibióticos, podendo indicar ao médico, qual o medicamento mais aconselhado para tratar a infecção do paciente. Esse exame geralmente é realizado em conjunto com a cultura de secreções do sangue ou da urina, pois identifica se há realmente uma infecção e qual microorganismo responsável por ela.

Até três anos atrás o laboratório poderia escolher entre o teste americano CLSI (Clinical and Laboratory Standards Institute) e o europeu EUCast (European Committee on Antimicrobial Susceptibility Testing) na realização do exame, mas com a portaria definiu que devem ser seguidos os critérios europeus em todo o território brasileiro. Para tanto foi criado a BrCast, comitê nacional que é uma cópia do europeu. “Agora, tanto a rede pública quando a privada deverão se adequar”, frisou.

As novas mudanças, segundo Schelley trará para as empresas um custo para validação do controle de qualidade tanto a rede pública quanto a privada devem se adequar. Há pontos positivos e negativos. Mas que exigirá das empresas e dos profissionais investimento e capacitação.

Universidade investe na atualização profissional

Para o professor Jorge Luiz Naliati Nunes, coordenador do curso de Biomedicina do Centro Universitário Barão de Mauá, a instituição sempre está realizando eventos desta natureza para propiciar aos seus estudantes a proximidade com a prática do dia-a-dia profissional. “A Universidade é responsável pela formação acadêmica, mas o contato com a prática e a interação com profissionais que já estão no mercado é fundamental”, afirmou ele. Aliás, nós temos no curso em todas séries aproximadamente 400 alunos e este é o 6º curso de Biomedicina criado no Brasil e o 1º em escola privada, temos 49 anos de curso.

Laboratórios e Distribuidoras apoiaram evento. A empresa Décio Camargo Distribuidora Laboratorial, representada por sua diretora Carolina Camargo, apoiou o evento. “É muito importante este entrosamento entre os profissionais e estudantes. São informações que vão agregar conhecimento ao acadêmico e atualizar o profissional que já atua na área”, explicou. A empresa, sediada em Santa Rita do Passa Quatro, conta com 25 funcionários e atende todo o interior do estado de São Paulo.

Carlos Eduardo Farkuh, gerente comercial da Laborclin, explicou que a empresa realiza e patrocina esses eventos científicos. “Mudanças feitas pela agência reguladora, como a portaria 64, altera a rotina e processos dentro dos laboratórios. A Laborclin procura através de eventos como este, trazer este conhecimento de forma simples e prática para profissionais e estudantes da área. Acreditamos que desta forma contribuímos para o desenvolvimento profissional e acadêmico dos mesmos”.

Com sua matriz em Pinhais, no Paraná, a Laborclin conta com 180 funcionários e atende todo o território brasileiro. “Nosso planejamento estratégico é até 2023 dobrar o nosso faturamento e assim assumir a liderança em determinadas linhas de produtos de microbiologia”.

A Welldone Assistência Laboratorial, também se fez presente no evento através de seu diretor administrativo Robson Cardoso. Sediada em Ribeirão Preto, a empresa mantém uma parceria com a Barão de Mauá realizando anualmente o Biomed Day, que este ano terá sua quarta edição. “Os estudantes precisam estar conectados com as atualizações profissionais e tecnológicas do que está no mercado. E eventos como este permitem o aprimoramento estudantil”, frisou.

*Texto: Rita de Sousa