SAÚDE PREPONDERA - SEMPRE


Não são recentes as inconformidades dos diversos setores, públicos e privados, em relação aos dispêndios financeiros em saúde, sempre crescentes.

O fomento aos cuidados preventivos, aliados à longevidade, novas tecnologias e, de forma substancial, à falta de interoperabilidade e comunicação entre todos os sistemas de atendimento acarretam duplicatas ou triplicatas de investigações. As mesmas ou similares às anteriormente realizadas e que conduzem às mesmas possibilidades diagnósticas.

Os dados obtidos nas mais diversas ações em saúde pertencem ao cliente. Portanto, ao retornar a uma consulta ou procurar outro serviço ou profissional, nada impede que porte algum dispositivo ou uma identificação específica atrelada a um serviço de informações de saúde, que permita acesso, aos procedimentos já realizados, de forma consciente, livre e esclarecida. Algo similar a uma folha corrida que poderia, de forma segura, abreviar diagnósticos e, consequentemente, conduzir de forma mais célere e econômica às terapias mais indicadas.

Esses processos poderiam obter maiores amplitudes, se criados sistemas utilizáveis interoperadoras e nos atendimentos da rede pública.

Incrementos fundamentais à eficiência e resolutividade, aliados a importantes e necessárias reduções de custos.

Para tal existem amplos recursos tecnológicos.

A exacerbada inflação dos sistemas de saúde não é uma preocupação apenas brasileira. Esses custos são sentidos e afetam de forma significativa todas as empresas que procuram manter um atendimento de qualidade a seus colaboradores. Algumas já enfrentam valores equivalentes a 15% de seus custos gerais. Em época devastadora da pandemia deverão ser significativamente aumentados.

Existem diversas tentativas à procura de minimização de custos. Na China a ANT Financial, braço financeiro do grupo Ali Baba, criou um consórcio de saúde em que as despesas totais do grupo são rateadas entre todos os participantes acrescidas a uma taxa de administração de 8%. Cálculos preliminares indicam que, quando um membro do grupo adoecer de forma grave, haverá um rateio de aproximadamente US$ 0,015 por participante. Valores possíveis, pois o projeto envolve um atendimento a 20% da população chinesa, cerca de 320 milhões de vidas. O nome do consórcio é “Xiang Hu Bao” traduzido, Proteção Mútua.

A Amazon criou em 2019 seu plano Amazon Care, como forma de oferecer atendimento remoto para funcionários em casos emergência. Este movimento evoluiu e, de imediato será oferecido às pessoas físicas, com a complementação do Pillpack, empresa de entrega personalisadas de medicamentos com as prescrições impressas em embalagens.

A empresa declara, através de seus executivos que o Amazon Benefits, um conjunto de benefícios voltados aos seus colaboradores, serviu de inspiração para poder entender as necessidades de outras entidades coorporativas. Para poder oferecer e negociar com outras empresas esse modelo assistencial.

A recente aquisição, realizada pela rede CVS de Farmácias, da AETNA a quarta maior operadora de planos de saúde dos EUA, 44 milhões de vidas, tem causado impactos de mercado e emocionais. De modo similar, já existem negociações entre a United Health e a rede de farmácias Wallgreens. São atitudes de mercado que visam simplificar e reduzir os custos do atendimento, transformando os estabelecimentos farmacêuticos em porta de entrada dos clientes das operadoras de planos de saúde. Existem trabalhos estatísticos que comprovam que 60 a 70% das ocorrências possam ser resolvidas nessas instâncias, além de aproveitar a capilaridade e excepcionais localizações desses estabelecimentos. Custos serão minimizados e assim, valores poderão ser diminuídos e planos de saúde mais econômicos oferecidos.

Outras vertentes, não menos importantes, poderão ser invocadas no sentido de qualificar ainda mais os atendimentos em saúde, ligadas à humanização, priorização dos pacientes, levando em conta, também, o lado emocional e conforto espiritual. Todas as tecnologias emergentes introduzidas e conduzidas a plataformas que possam gerar proveitos e benefícios aos clientes, sempre em primeiro plano, e operadores.

O acesso aos atendimentos primários universalizados, em qualquer situação poderão atenuar doenças e impedir que muitas se instalem, prevendo os melhores sistemas e calendários de vacinações, e provendo a criação de estilos de vida em que, nutrição racional, exercícios físicos e prevenção de acidentes, sempre linha de frente de cuidados. Blockchain e tantos outros sistemas de segurança garantem a autenticidade e consistência das informações.

Marcelo Botelho, Diretor da VEUS

Parcerias evidentes e colaborativas em todos os eixos devem ser viabilizadas, procurando sempre aprimorar e socializar o que cada setor tem de melhor. Portanto tudo começa no diálogo franco e aberto em todos os ambientes, públicos e privados, utilizando o que existe de mais atual, em sistemas de comunicações e interoperabilidade.

Os interesses comerciais e de mercado não devem suplantar os da saúde, entretanto podem ser recompensados com os resultados de mais eficiência e resolutividade. Com certeza, o retorno dos investimentos, totalmente viáveis, irão gerar todos os tipos de recompensas aos clientes e investidores.

Em nosso país já existem importantes manifestações nesse sentido, que visam tornar total realidade as ações de interoperabilidade entre sistemas de saúde.

NOSSOS PARCEIROS