Caneta que detecta câncer, Doenças Reemergentes, Dengue/Zika, Vitamina D, Diabetes, são alguns dos assuntos do 53º CBPC/ML.


Conferências Magnas
 
Andrea Ferreira Gonzalez – 24/09 às 11h30 – Especialista em diagnóstico molecular, um conjunto de técnicas moleculares que identificam alterações no DNA que possam ser indicativas de doenças genéticas ou câncer, por exemplo. É diretora do Laboratório de Diagnóstico Molecular da VCU (Virginia Commonwealth University) Health Systems desde 1994.
 
Lívia Eberlin – 25/09 às 11h30 – A cientista brasileira que desenvolveu a caneta que detecta tecidos cancerosos em 10 segundos durante cirurgias, vencedora da bolsa MacArthur "Genius" 2018. Em reconhecimento ao seu trabalho inovador de PhD, recebeu outros prêmios, incluindo o Nobel Laureate Signature da American Chemical Society
 
Pedro Vasconcelos – 26/09 às 11h30 – Especialista em arboviroses, vírus transmitidos biologicamente pela picada de artrópodes hematófagos como os mosquitos, flebotomíneos, carrapatos e maruins, entre outros. Coordenou a equipe do IEC que demonstrou originalmente ao mundo que o Zika vírus causa microcefalia e outras malformações congênitas.
 
Outras atividades:
 
Tema: Testes laboratoriais remotos - 24 de setembro, às 9h00
 
Resumo: O mercado de teste global de pontos de atendimento (POCT) foi avaliado em US$ 14 bilhões em 2017 e está previsto atingir US$ 30 bilhões até 2026. Uso da tecnologia vai crescer mais de 114% até 2026, e pode auxiliar atendimentos urgentes e acesso em regiões sem acesso a recursos.
 
Especialista: Paula Távora, ex-presidente da Sociedade Brasileira de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial
 
Tema: Espermograma
 
Resumo: De acordo com o Ministério da Saúde, 31% de adultos do sexo masculino não têm o hábito de ir ao médico. Um simples exame de espermograma, por exemplo, pode diagnosticar casos de infertilidade e direcionar o homem para realização de outros exames, a fim de elucidar alterações na próstata e testículos.
 
Especialista: Fábio Brazão, patologista clínico e membro da diretoria da SBPC/ML
 
Tema: Doenças reemergentes - 25 de setembro, às 09h00
 
Resumo: Aumento dos números de doenças consideradas controladas acendem debate sobre saúde pública no Brasil. O crescimento dos casos de sarampo e sífilis são os que mais chamam atenção.
 
Especialista: Silvana Maria Eloi Santos - patologista clínica e imunologista especialista em doença de chagas
 
Tema: Funções da tireoide - 25 de setembro, às 9h00
 
Resumo: Alterações nas funções da tireoide podem trazer riscos à saúde e 74 % dos pacientes com problemas crônicos na glândula, controlam a doença através de exames laboratoriais.
 
Especialista: Marcelo Cidade Batista, endocrinologista e patologista clínico
 
Tema: Uso de opioides para controle da dor
 
Resumo: Estudos apontam que, em 2009, foram contabilizadas 1,6 milhão de vendas em farmácias brasileiras, com prescrição médica. Em 2015, o número saltou para 9 milhões de receitas médicas.
 
Especialista: Alvaro Pulchinelli, toxicologista e patologista clínico, presidente regional da Sociedade Brasileira de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial (SBPC/ML) para São Paulo (capital)
 
Tema: Vitamina D - 26 de setembro, às 17h00
 
Resumo: A reposição de vitamina D está sendo debatida desde 2010, quando os seus benefícios foram questionados em publicação médica. Em 2017, a SBPC/ML em parceria com a SBEM, publicou um documento que reflete a posição dessas duas sociedades sobre a dosagem da 25-hidroxivitamina D. O documento sugere que, em indivíduos saudáveis abaixo dos 60 anos, os níveis séricos desse analito sejam maiores ou iguais a 20ng/mL (nanomiligramas por mililitro). Por outro lado, idosos, pessoas com doenças crônicas, gestantes e lactantes devem manter níveis entre 30 e 60 ng/mL. Quando os níveis ultrapassam 100ng/mL, há o risco de toxicidade e hipercalcemia.
 
Especialista: Marcelo Cidade Batista, endocrinologista e patologista clínico
 
Tema: Diabetes – 26 de setembro, às 9h00
 
Resumo: Pesquisa da SBPC/ML revela que prevenção poderia evitar ou retardar 57% dos casos de diabetes. Procurar o médico e fazer exames são apontadas como principais medidas que ajudariam a prevenir a doença. Segundo Ministério da Saúde, entre 2006 e 2016, houve um aumento de 61,8% nos casos da doença, atualmente existem 12,5 milhões de diabéticos no Brasil – o equivalente a 7% da população.
 
Especialista: Dr. Nairo Sumita, Diretor Científico da SBPC/ML