Importância do valor de referência para o diagnóstico clínico


O laboratório de análises clínicas esteja ele atuando no diagnóstico clínico humano ou na medicina veterinária, deve recorrer sistematicamente ao valor de referência de cada ensaio como um orientador sugestivo do quadro clínico do paciente em atendimento. 
 
O valor ou intervalo de referência deve indicar para cada tipo de exame laboratorial as faixas de normalidade esperadas para aquela dosagem, com os limites mínimo e máximo sugeridos, normalmente encontrados para o teste em questão em pacientes hígidos. Este orientador do quadro de normalidade do paciente em relação ao resultado do exame pode ser obtido normalmente de três formas: calculado pelo próprio laboratório; validado e utilizado o valor de referência indicado pelo fabricante do reagente; ou sendo utilizado um valor de referência da literatura científica.
 
Também o laboratório pode utilizar estas três ferramentas para definir o seu valor de referência para os testes por ele realizados. A faixa de normalidade para um exame pode variar consideravelmente, dependendo da metodologia empregada na análise. Por exemplo, a dosagem de fosfatase alcalina em amostra de soro humano pode ter valor de referência até 270 U/L ou de 27 a 100 U/L para pacientes adultos do sexo masculino, dependendo da composição do reagente utilizado na dosagem.
 
De acordo com o tipo de reagente utilizado no ensaio, os resultados podem ser bem diferentes, e consequentemente os seus respectivos valores de referência também. No diagnóstico clínico veterinário também devem ser observadas estas particularidades quanto aos intervalos de referência dos testes.
 
Por exemplo, nas dosagens de ureia em amostra sérica de cães, o valor de referência é de 27,1 a 44,7 mg/dL conforme a instrução de uso do kit veterinário da BioTécnica; enquanto é de 15 a 40 mg/dL de acordo com a instrução de uso do kit veterinário de outra marca comercialmente disponível no mercado brasileiro; ou 21 a 59,9 mg/dL de acordo com uma referência bibliográfica (Kaneko et al).
 
Os valores de referência devem ser tratados de forma específica, individualizada, sendo considerada a particularidade de cada reagente aplicado na dosagem e a metodologia de análise utilizada. Exceto em casos onde foram realizados estudos para se chegar a consensos internacionais para a definição de valores de referência, através da realização de testes em diferentes populações e durante anos, como por exemplo, para as definições dos parâmetros de normalidade para a concentração de glicose e colesterol no sangue humano.
 
A BioTécnica realizou testes seguindo normas nacionais e internacionais para estabelecer parâmetros seguros e confiáveis como intervalo de referência em seus kits reagentes para dosagens humanas e veterinárias. Buscamos sempre inovar, mas mantendo a tradição de qualidade e respeito pelo nosso cliente, conquistada e consolidada a mais de 20 anos.
 
BioTécnica a serviço da vida.