Empresas de Ribeirão Preto (SP) se unem para produzir testes para diagnóstico da Covid-19


Com mais de 4 milhões de casos de Covid-19 confirmados, apenas 6,3% da população brasileira – 13,3 milhões de pessoas – já realizou algum teste de coronavírus desde o início da pandemia, segundo uma pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A proporção de exames para cada milhão de habitantes é de 63,2 mil, abaixo do objetivo, que é testar um quarto (25%) dos 210 milhões de brasileiros. Além disso, menos da metade desses testes são do tipo RT-PCR – capaz de identificar se o vírus ainda está ativo no corpo humano.
 

Em um cenário em que a testagem no país é o maior limitante para se adotar medidas de contenção do vírus, empresas incubadas no Supera Parque de Inovação e Tecnologia, em Ribeirão Preto, se uniram para verificar a viabilidade de se criar uma estrutura de testagem em massa para ajudar a população mais vulnerável da cidade e, consequentemente, impactar milhares de pessoas de forma positiva.


Diante disso, para oferecer apoio aos sistemas de saúde e ajudar no combate do novo coronavírus, foi criado o projeto Supera-Ação. Com o objetivo de produzir e disponibilizar testes de COVID-19 - amplamente e em caráter emergencial - no município, as empresas participantes da iniciativa converteram seus equipamentos em um laboratório de diagnóstico.


“O intuito inicial da proposta, que começou em abril, era disponibilizar 5 mil testes de RT-PCR para detecção do vírus SARS-CoV-2. Agora, até setembro, mais de 28 mil testes já foram realizados, e vamos fazer mais, de acordo com a demanda. Hoje, o Supera-Ação é responsável por 52% de todos os testes realizados na cidade”, explica Tatiana Magalhães, diretora de produção da Decoy Smart Control, startup de biotecnologia e uma das idealizadoras do projeto. 


Para ser realizado, o Supera-Ação contou com ajuda financeira da população e empresas, que contribuíram com recursos doados por meio de plataformas de apoio coletivo. “Inúmeras pessoas, extremamente qualificadas, alunos da Universidade de São Paulo, se voluntariaram para trabalhar de domingo a domingo em três turnos diários para ajudar nessa iniciativa juntamente com as empresas. O projeto foi construído e vem acontecendo devido à muita solidariedade e pessoas empáticas, com vontade de ajudar ao próximo”, pontua Tatiana. 


A prefeitura municipal de Ribeirão Preto, por meio da Secretaria da Saúde, também tem um papel fundamental na iniciativa e realiza todas as coletas e entrega das amostras. Uma vez recebidas, as amostras são triadas e o processo de extração e amplificação RNA viral é realizado, e os laudos são enviados para a Secretaria da Saúde, que informa o resultado ao paciente. Toda a gestão do projeto é realizada por colaboradores da FIPASE, que também é gestora do Supera Parque.


A Decoy oferece sua estrutura física para a realização de uma das etapas da testagem. Dentro de sua fábrica, que é provida de uma estrutura ideal para manipulação de amostras biológicas, com salas de pressão negativa, as quais impedem a saída do ar contaminado ou qualquer partícula perigosa do interior da sala, os pesquisadores realizam o processo de extração de RNA viral das amostras que chegam da prefeitura. 


“Os testes que realizamos são de RT-PCR e totalmente gratuitos. Hoje os custos são cobertos pela prefeitura. As coletas são feitas com a técnica de nasofaringe com swab, em algumas Unidades Básicas de Saúde da cidade”, explica Tatiana. “As amostras chegam no parque, onde são triadas e passadas para a sala de extração, na fábrica da Decoy, onde o RNA viral será extraído. Posteriormente, esse material é transferido para a sala de PCR, onde ocorre a análise, e o laudo é enviado aos responsáveis na Secretaria da Saúde, que liberam os resultados para a população”, completa. 


Além da Decoy, outras 17 empresas participaram do processo de estruturação do projeto, fornecendo conhecimento técnico específico, equipamentos, sistemas, consultorias, estrutura física, conhecimento em logística e marketing - tudo de forma voluntária. São elas: DGlab Testes Genéticos Nutricionais, In Situ - Terapia Celular, Nanosens, ONKOS Diagnósticos Moleculares, Veritas Biotecnologia, - LCR Kimera Biotecnologia, Guardians Biotech Pesquisa e Tecnologia, Microcontrol Innovation, Neogenys - Diagnostico Molecular, Paula C. dos Santos Suporte Técnico e Desenvolvimento de Sistemas, G&G Cosmetica, FastBio, Glucogear Servicos Em Tecnologia, ChicleteMKT Tecnologia e Marketing. 


“O projeto foi desenvolvido com muita ajuda e boas ações. Empresas de diferentes áreas de atuação se uniram de uma forma intensa e efetiva. O credenciamento do laboratório e início das testagens ocorreu em apenas 30 dias após o início das discussões de planejamento”, pontua Tatiana. “Poder fazer a diferença na vida de milhares de pessoas agora, em um momento tão difícil, só nos traz sentimento de gratidão. Muitos de nós da Decoy tivemos um ensino público e nada melhor do que poder retribuir à população tudo o que foi investido na nossa educação. Além disso, em um momento como esse, que gera impacto emocional e mental, poder ser solidário e impactar positivamente na vida de tantas pessoas nos causa um bem-estar emocional indescritível”, finaliza.

NOSSOS PARCEIROS

Nós protegemos seus dados

Saiba como usamos seus dados em nosso Aviso de Privacidade e Termo de Uso. Ao clicar em “Aceitar”, você concorda com os Termos de uso e a Política de Privacidade da LaborNews.