ERITROGRAMA DE CRIANÇAS COM ESPOLIAÇÃO DIETÉTICA POR CHUMBO E O CÁDMIO NA REGIÃO NORDESTE DA BAÍA DE TODOS OS SANTOS, SALVADOR, BAHIA, BRAZIL


INTRODUÇÃO

O Chumbo e o Cádmio são metais pesados, não participam de nenhuma etapa das reações do organismo humano, sendo que ambos comprometem o metabolismo do Ferro. Durante a Eritropoiese (geração das hemácias na medula dos ossos), para que exista a formação da Hemoglobina, há necessidade indispensável de três principais etapas: 1) Fornecimento do Ferro, 2) Síntese da Protoporfirina e 3) Síntese da Globina. Tanto nas Anemias Adquiridas assim como nas Anemias Genéticas existe a deficiência da síntese da Hemoglobina, porque nestas anemias existe o comprometimento de uma ou mais destas três etapas. Em trabalhos anteriores (1, 2, 3) existem referencias de que crianças no estado da Bahia, residentes em Ilha de Maré (situada no entorno do Posto de Aratú, região de intensa atividade industrial química e petroquímica) e na cidade de Santo Amaro, apresentaram associações das intoxicações por Chumbo com o Cádmio.Estes são metais tóxicos e estas contaminações foram adquiridas e comprovadas através de amostras de alimentos, principalmente o pescado, base alimentar e fonte de proteínas das comunidades pesqueiras na Baía de Todos os Santos. Cádmio e o Ferro: o Cádmio compete com o Ferro durante a absorção no intestino. Existem dois tipos de proteínas que transportam o Ferro: a Transportadora Divalente de Metal (DMT1) e a Proteína Exportadora de Metal (MTP1). Na presença do Cádmio estas proteínas no intestino passam a transportar o Cádmio em vez de transportar o Ferro (4, 5, 6, 7, 8). Chumbo e o Ferro: em condições normais o Ferro se une a Protoporfirina surgindo o Heme para a formação da Hemoglobina. A enzima que une o Ferro a Protoporfirina é a Ferroquelatase, que é uma enzima sensível ao Chumbo. Na presença do Chumbo existirá falta de ligação do Ferro com a Protoporfirina, sendo que é o Chumbo quem se une a Protoporfirina, tendo como consequência a inibição da capacidade do organismo de produzir o Heme, existindo diminuição na síntese do Heme. O Chumbo também é tóxico para as células da medula óssea, existindo redução do tempo de vida média das hemácias circulantes. O Ferro Não Hemoglobínico fica livre e aumentado (sob a forma de Ferritina, Hemossiderina) se depositando dentro das Hemácias, sendo prejudicial para o exercício das atividades de oxigenação (9, 10, 11). Consequentemente na presença do Chumbo e do Cádmio existe diminuição de fornecimento do Ferro, para a geração da Hemoglobina, surgindo desvios na síntese da Hemoglobina, durante a Eritropoiese.

Apesar do Cádmio e do Chumbo comprometerem o fornecimento do Ferro, porém existem determinados limites de valores, que são considerados Valores Aceitáveis para a presença destes metais tóxicos no organismo humano. Um dos primeiros sistemas do organismo humano a ser “prejudicado” quando existe a presença do Chumbo e ou do Cádmio é o Sistema Sanguíneo Eritrocitário, cujo exame para avaliação habitual e inicial é o Eritrograma (4). Eritrograma é um conjunto de exames, que avaliam os diferentes aspectos das Hemácias, sendo estas as células do sangue responsáveis pela oxigenação de todos os tecidos do organismo humano. Um indivíduo que está com a capacidade normal para oxigenar os seus tecidos, deverá ter todos os exames do Eritrograma dentro dos limites considerados normais, porque estes exames identificam diferentes características das hemácias, e são exames que se completam.

Questiona-se: Na presença associada de Chumbo e Cádmio, com diferentes combinações entre resultados para Valores Aceitáveis e Valores Elevados, quais são as alterações eritrocitárias, nos diversos resultados dos exames do Eritrograma?

OBJETIVO

Comparar os resultados dos Exames do Eritrograma, em crianças residentes na Ilha de maré, e a associação de níveis sanguíneos para Chumbo e Cádmio, separá-las e agrupá-las na dependência dos valores aceitáveis e ou elevados.

METODOLOGIA

Os dados coletados para o presente trabalho foram do arquivo pessoal da Tese de Doutorado de Neuza Maria Miranda dos Santos, da Escola de Nutrição da UFBa. O Protocolo de Pesquisa para a referida Tese de Doutorado foi submetido ao Comitê de Ética em Pesquisa da Maternidade Climério de Oliveira / UFBA (CEP/COM/UFBA), tendo sido aprovado conforme o protocolo de n0 56/2005. O objetivo e as análises efetuadas neste trabalho não têm relação direta nem conflitam com os objetivos principais da referida Tese de Doutorado.

Foram selecionadas 97 crianças, com idades entre 2 a 6 anos, residentes na Ilha de Maré, que está situada na região nordeste da Baía de Todos os Santos. Todas as crianças selecionadas para este trabalho, são das classes sociais de baixo nível socioeconômico e apresentaram no sangue a presença de Chumbo e Cádmio.

De acordo com os parâmetros internacionais,os valores aceitáveis para estes metais no sangue de crianças são: Chumbo até 10 ug/dl e Cádmio até 0,5 ug/dl (12). Para este trabalho as crianças foram reunidas nos quatros grupos a seguir:

1) GRUPO A: Chumbo Aceitável e Cádmio Aceitável,
2) GRUPO B: Chumbo Aceitável e Cádmio Elevado,
3) GRUPO C: Chumbo Elevado e Cádmio Aceitável e
4) GRUPO D: Chumbo Elevado e Cádmio Elevado.

O Grupo A, serviu de referência para a comparação com os outros três grupos em relação as variáveis que foram analisadas: Sexo, Idade, Peso, Altura, Classificação de Estados Nutricionais e Exames do Eritrograma.

Todos os exames laboratoriais (sangue) foram executados no Delta Laboratório de Apoio, em Salvador / Bahia. As dosagens de Chumbo e Cádmio no sangue total (com anticoagulante) foram feitas em método por espectrofotometria de absorção atômica, com forno de grafite. Os exames dos Eritrogramas foram executados em sangue total (com anticoagulante) em equipamento automatizado Cell Dyn, Modelo 1.400 (Abbott).

As análises estatísticas foram feitas, utilizando-se o software estatístico Epi-Info, versão 6.04d – janeiro 2001. Foram realizados testes de Kruskal Wallis H, Bartellet’s test, Mantel-Haenszel e ou Fisher exact, com nível de significância p<0.05, usando-se as seguintes siglas: S = significante e NS = não significante.

Para saber mais, acesse o link: https://www.labornews.com.br/fx-files/others/1_fvpppooli4vd.pdf

NOSSOS PARCEIROS