Nanotecnologia impulsiona melhorias na odontologia


Novas patentes mundiais foram emitidas na descoberta da neurotoxina botulínica em combinação com nanopartículas de prata criando resultados extraordinários.

 

O Dr. Andrew JM Willoughby e o Dr. Keith W. Moeller obtiveram e emitiram inúmeras patentes em todo o mundo – incluindo Ásia, Europa e agora Estados Unidos – sobre a combinação e utilização de nanoprata com várias neurotoxinas botulínicas (“BONTs”). Essas formulações proprietárias têm vantagens clínicas e logísticas significativas, incluindo o prolongamento da estabilidade e vida útil do BONT reconstituído de 2-3 semanas para mais de 3-4 meses, bem como estender o efeito terapêutico (eficácia) dos BONTs injetados até 6-7 meses (100% mais do que com solução salina padrão).

 

Segundo afima o Dr. Moeller: “Devido à forma como esta nanopartícula é capaz de encapsular e proteger várias proteínas e carboidratos da degradação, acreditamos que agora existe o potencial de que a neurotoxina botulínica não precise ser refrigerada, estendendo ainda mais seu uso humanitário em nações e cidades mais isoladas em todo o mundo. Pense em um adulto ou criança que utiliza o produto BONT para controlar enxaquecas crônicas ou convulsões motoras focais recorrentes e que agora só precisam ser injetados duas vezes por ano, em vez de a cada 2-3 meses. Esta descoberta pode impactar a vida de muitos!”

 

O Dr. Willoughby é um dentista canadense de Langley, especializado em cosmética e reconstrução, com várias certificações clínicas, que injeta BONTs desde 2007.

 

Em 2017, o Dr. Willoughby concluiu um ensaio clínico de Fase 1 off-label em humanos, com 39 pacientes a serem injetados com OnaBotulinumToxin-A, que havia sido reconstituída com um composto de nanoprata, autorizado para uso no Canadá e nos EUA, como solução irrigante para lavagem de feridas cirúrgicas.

 

Depois de monitorar de perto os participantes durante dezoito meses, e administrar em metade deles doses repetidas, foi observado um aumento na duração do efeito terapêutico entre os pacientes que sofriam de uma série de problemas, incluindo dores de cabeça tensionais crônicas, bruxismo (ranger de dentes) e rugas. Houve também efeitos antivirais notáveis em pacientes com herpes labial (HSV-1) e nenhum desses pacientes apresentou efeitos adversos. Outros ensaios clínicos posteriores em humanos foram concluídos desde então, com resultados semelhantes.

 

O Dr. Willoughby disse: “Sentimos como se agora entendêssemos a farmacocinética e o modo de ação de como nossas partículas ultrapequenas de nanoprata (5-7Nm) interagem com o BONT, e o que é necessário para prolongar sua eficácia e estabilidade. Também concluímos um estudo de ingestão humana Fase-2 patrocinado pelo IRB – o maior de seu tipo alguma vez realizado com um composto de nanoprata. Esses resultados publicados indicam que nossa nanoprata é segura para ingerir e inalar e não é tóxica. Milhares de cirurgias dentárias bem-sucedidas (envolvendo locais de inserção de dispositivos médicos) também estabeleceram que nossa nanoprata é um desinfetante profundo de cicatrização e de amplo espectro. Temos várias autorizações regulatórias da USFDA e do Canadá para fundamentar essas afirmações. Esta tecnologia de nanoprata não apenas atende às diretrizes da USFDA USP 51 para um conservante antimicrobiano de acordo com o 21 CFR Parte 58, mas também não é tóxica para humanos. Refiro-me a esta nova versão melhorada como “Botox® Bacteriostatic”(*). As implicações técnicas desta plataforma de nanotecnologia vão muito além da odontologia.”

 

Devido às profundas propriedades conservantes e antimicrobianas desta nanoprata, bem como sua capacidade de modular o sistema imunológico e encapsular outras moléculas orgânicas, o Dr. Willoughby e Moeller também entraram com uma série abrangente de patentes para o uso de partículas de nanoprata, algumas revestidas com lípidos, como parte de um novo tratamento terapêutico antiviral e como um adjuvante alternativo para vários tipos de imunoterapias, incluindo vacinas de vetor de mRNA recombinante.

 

O Dr. Moeller conclui: “Temos centenas de estudos clínicos e laboratoriais independentes, incluindo várias publicações revisadas por pares, que apontam para a cicatrização profunda de feridas, desinfetante, anti-biofilme, conservante e capacidades imunomoduladoras desta nanoprata. Isso, combinado com a capacidade de eliminar uma ampla gama de bactérias multirresistentes (sem ser tóxico para o paciente) e nossos achados clínicos BONT, nos leva a acreditar que nossa nanoprata pode ser uma alternativa ideal para muitos químicos tóxicos e antibióticos (ou seja, timerosol, glutaraldeído, metilparabeno, 2-fenoxietanol, gentamicina, estreptomicina e neomicina) atualmente sendo usados como adjuvantes pela indústria de vacinas.”

 

Apresentações de PCTA também foram feitas para o uso combinado da nanoprata e toxina botulínica com vários antioxidantes, incluindo vitaminas A, C e E, bem como plasma rico em plaquetas, lipossomas e ácido hialurônico para microagulhas. Esses arquivos incluem protocolos clínicos adicionais.

 

(*) Botox® é uma marca registrada da Allergan Plc e Abbvie, Dublin, Irlanda. O uso de “Botox® Bacteriostátic” é usado apenas como um termo descritivo.

 

Website: http://www.verasil.com

 

 

 

 

NOSSOS PARCEIROS