O importante trabalho da Radioterapia em tempos de pandemia

Com reforço das ações de precaução contra o Coronavírus, departamento assegura atendimento a pacientes que lutam contra o câncer


   A arquiteta Renata da Cunha Ribeiro (35), de Avaré/SP, faz tratamento do câncer de mama no Hospital Amaral Carvalho (HAC), desde o final do ano passado. Depois de passar por cirurgia e quimioterapia, ela precisava iniciar a radioterapia, mais ou menos quando chegava ao Brasil a pandemia do Coronavírus. “Fiquei com um pouco de medo, pensei que pudessem adiar as sessões, mas começamos em abril e está correndo tudo bem”, conta.

   Assim como Renata, todo mês, cerca de 200 pacientes de várias cidades vêm ao HAC para o tratamento com radioterapia, que utiliza radiação ionizante produzida por modernos equipamentos, como aceleradores lineares, com a finalidade eliminar tumores malignos. De acordo com o médico responsável pelo serviço, Batista de Oliveira Junior, o atraso na realização do procedimento pode comprometer o resultado, com progressão da doença ou surgimento de metástases.

   Seguindo regulamentos internacionais de tratamento e as recomendações de prevenção contra o Coronavírus (COVID-19), a equipe tem avaliado todos os casos para garantir que os pacientes sejam atendidos dentro do prazo adequado. “Estamos mantendo os atendimentos, com raras exceções. Tomamos como base o protocolo da Universidade de Yale, dos Estados Unidos, que estabelece em quais situações é possível realizar a pausa”, explica Batista.

  

Cuidados

    O HAC tem reforçado as medidas para garantir a segurança de funcionários e pacientes durante a pandemia, implementando ações para evitar a transmissão de vírus respiratórios. Seja para consulta, exame ou qualquer atendimento, os pacientes que chegam ao hospital passam primeiro pelo setor de triagem com profissionais de enfermagem, que verificam sinais gripais para evitar que pessoas com suspeita da doença circulem pela instituição.

   Para evitar aglomerações, atendimentos não urgentes estão sendo reagendados, exames disponibilizados digitalmente e regras e horários de visita foram alterados. A equipe de Radioterapia também adotou cuidados especiais:

— Quando necessária a presença de acompanhante, ele deve aguardar fora da área de espera da Radioterapia;

— As revisões semanais são realizadas se houver intercorrências do tratamento. Caso contrário, o paciente só retorna ao hospital para a próxima sessão de radioterapia;

— Além do uso de Equipamentos de Proteção Individuais (EPIs), os funcionários intensificaram orientações aos pacientes, como higienização das mãos, distanciamento social e uso obrigatório de máscara.

   Para Renata, as ações são muito importantes. “Com certeza, reduzem as chances de transmissão e também alertam os usuários para os cuidados. Eu, por exemplo, fico atenta e evito tocar superfícies como maçanetas e balcões e estou sempre higienizando minhas mãos com água e sabão ou álcool em gel”, relata.

   A paciente afirma que toda a organização do HAC, da infraestrutura aos funcionários, tem feito a diferença em seu tratamento. “Sempre venho feliz ao hospital, pois sei da competência desse time e o carinho que tem com os pacientes. Isso nos dá mais segurança e a certeza de que logo vamos superar também essa fase, juntos”.

 

Dicas para enfrentar a pandemia sem prejudicar seu tratamento:

 Não interrompa qualquer etapa do tratamento sem conversar com seu médico;

— Como outras modalidades terapêuticas, a radioterapia pode causar eventos adversos (sempre relacionados com a área irradiada), como fadiga, reações na pele e problemas de deglutição. Evite vindas desnecessárias ao hospital: se você se sentir mal, entre em contato com a equipe Acolhe Amaral pelo telefone (14) 3602-1357 ou 3602-1337 para receber orientações;

— Se apresentar sintomas suspeitos da COVID-19, como febre ou falta de ar, procure imediatamente o serviço de saúde mais próximo;

— Evite o contato com qualquer pessoa que tenha sintomas gripais ou com suspeita da COVID-19;

— Evite a proximidade com outras pessoas, toques e apertos de mãos, beijos e abraços. Mantenha a distância social e não receba visitas desnecessárias até que a situação melhore.

— Caso esteja na fase de seguimento, ou seja, apenas consultas de rotina para acompanhamento, consulte a equipe do HAC para avaliar se é possível adiar esse tipo de atendimento sem ter prejuízos. 

NOSSOS PARCEIROS