Problemas vasculares são as principais causas do AVC


O Acidente Vascular Cerebral, também conhecido como AVC, é uma das doenças que mais assustam as famílias no Brasil. Ela ocorre quando o suprimento de sangue que vai para o cérebro é reduzido ou então se os vasos transportadores de nutrientes são interrompidos, privando as células de oxigênio e substâncias necessárias para seu funcionamento. Este bloqueio pode provocar uma hemorragia e paralisia cerebral levando a pessoa a morte.
 
Robert Guimarães, médico especialista em cirurgia vascular, endovascular e angiorradiologia explica como o aparecimento de varizes está ligado à esta doença.
 
“Muitas varizes são as veias dilatadas que prejudicam a circulação do sangue, afetando a parte mais superficial da pele, principalmente nas pernas e pés. Por ser uma doença ligada à circulação e funcionamento do corpo, correm o risco de estarem associadas com um AVC. Dados da Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular confirmam que cerca de 85% dos casos vasculares podem desenvolver um AVC”, explica o especialista 
 
Além de ser uma preocupação estética, as varizes podem causar graves problemas de saúde, como a flebite, uma inflamação que se não for tratada, pode levar à trombose, que é a formação de um trombo ou coágulo no interior de um vaso sanguíneo em partes inferiores do corpo e que mais tarde pode afetar o sistema cardiovascular, ocasionado um AVC. Segundo o Ministério Da Saúde, 80% a 85% dos casos ocorrem quando há obstrução de um vaso sanguíneo que irriga o cérebro.
 
Guimarães também diz que manter hábitos saudáveis nos ajuda a prevenir e cuidar deste mal. “O jeito como levamos nosso estilo de vida influencia muito em nossa saúde”, conta. Se hidratar, praticar exercícios e alongamentos diariamente, evitar saltos e sapatos apertados, não fumar, manter uma alimentação balanceada e sustentar seu peso são dicas fundamentais para precaver essa e outras doenças.
 
“O AVC, assim como muitas outras doenças, podem ser curadas durante o tratamento prévio. E isso só acontece se o paciente tiver com os seus exames de rotinas em dia. Infelizmente, sabemos que a maior parte da população não tem esse hábito por acreditarem que a saúde está perfeita ou por colocarem a culpa na falta de tempo. Esse pensamento precisa mudar, as avaliações rotineiras são fundamentais”, conclui o especialista.