Projeto da UFSCar oferece tratamento gratuito para crianças e jovens com paralisia cerebral


Uma pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Fisioterapia (PPGFt) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) oferece tratamento fisioterapêutico gratuito para crianças e jovens portadores de paralisia cerebral de leve à moderada. Os voluntários passarão por procedimentos na Unidade Saúde Escola (USE) da UFSCar. O estudo é realizado pela mestranda Camila Araujo Santos Santana, sob orientação de Ana Carolina Campos, docente do Departamento de Fisioterapia (DFisio) da Universidade.

A paralisia cerebral consiste em um conjunto de desordens permanentes que afetam o movimento e a postura do indivíduo, devido à lesão ocorrida no cérebro ainda imaturo. Segundo a pesquisadora, nesse quadro, muitas desordens sensoriais também podem estar presentes afetando o desempenho motor dos pacientes.

De acordo com Camila Araujo, o "projeto visa oferecer um novo tratamento para as pernas, com foco sensorial, e investigar seu impacto no equilíbrio, na forma de andar, na sensibilidade e na percepção que o indivíduo tem do próprio corpo". Para a pesquisadora, o estudo é importante porque ajudará a delinear melhor a efetividade dos tratamentos fisioterapêuticos oferecidos nesses casos e a descobrir como o sistema sensorial pode influenciar o sistema motor na paralisia cerebral. Para desenvolver a pesquisa, estão sendo convidados crianças e jovens, entre 5 e 20 anos, que tenham paralisia cerebral de leve à moderada, que sejam capazes de entender e responder comandos verbais simples, de andar sozinhos (mesmo com a ajuda de muletas ou andadores) e que consigam ficar parados em pé por, pelo menos, 30 segundos.

Os voluntários passarão por avaliações de equilíbrio, caminhada e sensibilidade dos pés, e receberão três sessões de tratamento fisioterapêutico na USE-UFSCar, que fica na área Norte do Campus São Carlos da UFSCar. Interessados em participar devem entrar em contato com a pesquisadora até o dia 23 de agosto, pelo telefone (16) 99633-9944 ou pelo e-mail camilaaraujosantossantana@gmail.com. Projeto aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da UFSCar (CAAE: 89792518.9.0000.5504).