Sarampo Urgente - Federação dos Hospitais do Estado de São Paulo alerta rede privada de saúde contra o sarampo

Campanha da FEHOESP - Federação dos Hospitais, Clínicas e Laboratórios do Estado de São Paulo alerta os 55 mil serviços de saúde privados no Estado de São Paulo para o surto de sarampo na Grande São Paulo e a necessidade de vacinação urgente e imediata de todos os mais de 740 mil profissionais de saúde no Estado com duas doses da vacina


"A medida vale também para os colaboradores terceirizados, como serviços de limpeza, recepção, manobrista etc. Isso é importante para contermos o avanço e a disseminação da doença entre a população", alerta Yussif Ali Mere Jr, presidente da FEHOESP e do Sindicato dos Hospitais, Clínicas e Laboratórios de Ribeirão Preto (SindRibeirão). Casos suspeitos devem ser isolados e comunicados imediatamente às secretarias municipais de saúde e vigilância sanitária local.

Outro alerta fundamental é que os serviços de emergência dos hospitais tenham um sistema de triagem rápido e seletivo para que pacientes com suspeita de sarampo sejam separados e não fiquem na mesma sala de espera de outros pacientes, para que se evite a contaminação. “Cada paciente com sarampo pode contaminar de 16 a 17 pessoas”, destaca Ali Mere Jr.

Segundo o presidente da FEHOESP, o alerta está sendo feito pelo portal da entidade (fehoesp.org.br), pelas redes sociais, news letters, email marketing e pela imprensa. “Estamos fazendo essa importante campanha, mas somente a conscientização de cada profissional e de cada serviço de saúde pode trazer resultados positivos. Trata-se de uma ação de cidadania e de responsabilidade social de cada um”, destaca.

Os profissionais de saúde, médicos e colaboradores de estabelecimentos de saúde devem tomar duas doses da vacina do sarampo em um intervalo mínimo de 30 dias, independentemente da idade.  

Segundo a Secretaria de Estado da Saúde (SES), a estatística indica que menos de 90% dos profissionais de saúde atenderam à campanha de vacinação contra a gripe e o receio é de que esta baixa adesão se repita. Daí a necessidade da campanha da FEHOESP.


Reunião urgente da FEHOESP na SES

Em reunião de urgência na sede da Secretaria de Estado da Saúde, o presidente da FEHOESP, Yussif Ali Mere Jr, e o diretor Luiz Fernando Ferrari, receberam o pedido formal de diretores da SES e do Ministério da Saúde, para que a Federação dos Hospitais alerte os estabelecimentos de saúde privados e auxilie os órgãos de saúde no controle do sarampo. Entre os presentes, compareceram Helena Sato, diretora de imunizações da SES, e Carla Domingues, coordenadora do programa nacional de imunizações do Ministério da Saúde. 

FEHOESP mobiliza o setor

Além do comunicado aos 55 mil estabelecimentos de saúde cadastrados, a FEHOESP manteve contato e parceria para conscientização sobre a importância da vacinação com o Sindicato dos Fisioterapeutas do Estado de São Paulo, com a Associação Paulista dos Cirurgiões Dentistas (APCD) e com o Colégio Brasileiro dos Executivos da Saúde (CBex).

Sarampo tem novo perfil de transmissão e atinge as classes A e B

O surto de sarampo em São Paulo tem um novo perfil de transmissão e nada tem a ver com o surto trazido do Norte do país pelos venezuelanos. O sarampo chegou a São Paulo vindo por pessoas que viajaram ao exterior e não estavam vacinadas. E que, como têm planos de saúde, procuraram os hospitais privados. “Como o sarampo é uma doença que estava praticamente erradicada e sem casos no Estado, precisamos alertar os serviços de emergência dos hospitais para que adotem as medidas necessárias no atendimento aos pacientes com suspeita da doença”, alerta Yussif Ali Mere Jr. 80 mil casos de sarampo já foram notificados em países como Inglaterra, Itália, França, entre outros. A Organização Mundial de Saúde (OMS) prevê um surto mundial com 300 milhões de infectados, daí a importância da participação de toda a rede privada de saúde na campanha de vacinação do sarampo.


Mais informações : https://fehoesp360.org.br/.