Saúde infantil: especialistas explicam a relação do sono com a má alimentação


Segundo dados da Organização Mundial de Saúde estima-se que, em 2025, 2,3 bilhões de adultos ao redor do mundo estejam acima do peso, sendo 700 milhões de indivíduos com obesidade. Segundo a Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica, o Brasil aumentou em quase 70% o número de obesos, em um período de 13 anos.

 

Os hábitos alimentares são muito importantes para a nossa saúde e começa desde cedo, e dados mostram que a obesidade tem atingido cada vez mais crianças no Brasil. Estudos do Ministério da Saúde revelam que 60,8% das crianças com menos de dois anos comem biscoitos, bolachas, bolos e que 32,3% tomam refrigerantes ou suco artificial e 12,9% das crianças brasileiras entre cinco e nove anos têm obesidade.

 

A tríade para uma criança saudável 

 

A especialista do sono, Luciana Sales, fala sobre a relação da alimentação, sono e rotina da criança que formam a tríade para uma criança saudável.

 

“A alimentação depende do sono e do nível de atividade ao qual nos expomos. O sono por sua vez, depende da alimentação e do nível de atividade. E por último, a energia para as atividades dependem de quanto recarregamos as energias dormindo e com uma boa alimentação.” Ou seja, em qualquer idade é necessário o equilíbrio e harmonia entre os três elementos, principalmente na vida das crianças “que têm uma necessidade de sono muito maior que a nossa,” conclui.

NOSSOS PARCEIROS