SBAC reconduz Dr. Luiz Fernando Barcelos à presidência da entidade para novo mandato a partir de janeiro de 2019

Em entrevista exclusiva para o Labornews, Dr. Barcelos credita ao modus operandi de boa gestão empresarial os excelentes resultados que a entidade apresenta. Ele também analisa a situação do setor diante da crise brasileira e explica como funciona o bem sucedido Programa Nacional de Controle de Qualidade da Sociedade Brasileira de Análises Clínicas.


Labornews - Qual o balanço da gestão que se encerra sob seu comando e quais as expectativas para sua nova gestão, a partir de janeiro de 2019?

Estou encerrando no fim deste ano o primeiro mandato como presidente. Assumi ano passado em primeiro de janeiro. Assumi com certa vantagem, reconheço, pois fui diretor executivo de gestões anteriores, ou seja, já conhecia bastante o mecanismo de funcionamento da SBAC. De início, começamos a trabalhar num processo de aprimoramento da gestão, procurando fazer com que a SBAC tivesse uma gestão empresarial, uma gestão visando realmente a obtenção de resultados através da implantação de indicadores econômicos e indicadores gerenciais, para que realmente se pudesse fazer um projeto de Entrevista SBAC reconduz Dr. Luiz Fernando Barcelos à presidência da entidade para novo mandato a partir de janeiro de 2019 crescimento da nossa sociedade. Pretendemos encerrar este ano com esta etapa mais ou menos cumprida. Fui eleito para mais um mandato e temos já outra previsão: além da continuidade do que estava sendo feito até agora, também teremos algumas novidades.

Labornews - Como avalia o setor de laboratórios?

As nossas expectativas para o segundo mandato são fundamentalmente sobre uma visão do mercado onde a SBAC está inserida. O mercado mudou muito, as coisas mudaram muito, sempre mudaram, só que talvez não com a velocidade com que hoje mudam. Nos dias de hoje, se a pessoa não estiver atenta e fazendo uma gestão que policie estas mudanças, em pouco tempo fica fora da realidade de mercado. O mercado na área das análises clinicas não está bem, estamos enfrentando uma dificuldade muito grande.

A chamada crise brasileira, que existe e é real, atinge fortemente a todos os setores. O comércio vende menos, consequentemente compra menos da indústria, e então ambos entram numa crise financeira muito grande, uma crise de demanda. Mas o que acontece com a área da Saúde? A Saúde não tem crise de demanda. Sempre haverá pessoas doentes e, aparentemente, havendo uma crise nos outros setores, parece até que as pessoas adoecem mais. E isso faz com que embora haja uma crise econômica, os recursos para a área da Saúde têm de continuar existindo porque não é possível reduzir a demanda na Saúde. Com o país em dificuldade econômica, o movimento aumenta, a demanda aumenta, mas as fatias ficam cada vez menores porque o bolo não aumenta. Então, hoje temos no Brasil na área de Saúde não uma crise de demanda, mas uma crise financeira. Há um subfinanciamento, ou seja, não há recursos adequados para cumprir com todas as obrigações na Saúde. Aliado ainda ao fato, que parece ser crônico no país, de que a carência é muito grande também na gestão desses recursos. Então, há no Brasil uma falta de recursos para muitas obrigações na Saúde e também falta de boa gestão dos recursos existentes.

Labornews - O que é Programa Nacional de Controle de Qualidade implantado pela SBAC?

A SBAC tem alguns produtos que, dentro dessa visão forte de gestão que queremos implantar, entendemos serem produtos muito importantes. Um deles é o nosso Congresso, ponto alto da atividade da SBAC, que acontece sempre em junho. Outro produto que consideramos extremamente importante porque eleva o nível de qualidade de nossos laboratórios é o nosso programa PNCQ (Programa Nacional de Controle de Qualidade). Esse Programa consiste na participação dos laboratórios - são cerca de 5.500 laboratórios - que recebem todos os meses uma determinada quantidade de materiais biológicos de valores desconhecidos. O laboratório vai analisar este material como se fosse para um cliente e devolver os resultados em forma de laudo para o programa. O PNCQ faz, então, um tratamento estatístico e devolve para o laboratório participante uma avaliação de seus resultados em relação ao consenso de todos os demais participantes. Isso, sem dúvida nenhuma, é um fator importante na elevação da qualidade dos laboratórios porque eles passam a conhecer como estão situados em relação aos demais. Também passam a ter mecanismos, ferramentas, informações e indicadores de como se corrigir para se adequar aos valores que eram realmente esperados.


Dr. Luiz Fernando Barcelos