Suor pode diagnosticar câncer


Uma pesquisa realizada pela Universidade de São Paulo (USP) apontou que o suor é capaz de diagnosticar o câncer.

Na pesquisa, a cientista Fernanda Ferreira da Silva Souza Monedeiro promoveu a coleta de suor de 64 pessoas no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto. Os resultados apontaram que metade (32) dos voluntários tinha carcinoma. Segundo o professor Bruno Spinosa De Martinis, do Departamento de Química da USP, o conceito é aferir os compostos voláteis produzidos pelos organismos, “os compostos se evaporam mais facilmente em temperaturas baixas e são formados durante o processo de metabolismo das células”.

Feitas as análises, o grupo de pesquisadores constatou que o suor de quem estava com câncer apresentava um perfil diferenciado e em concentrações mais elevadas. No estudo, o suor foi colhido por intermédio de um adesivo colado no corpo. Depois o material foi armazenado em frasco de vidro fechado e, em seguida, aquecido por dez minutos, o que forma uma porção gasosa que é aspirada por uma seringa e levada para avaliação. Das 32 pessoas doentes, muitas apresentaram vários tipos de tumores como linfoma e o de próstata.

“Há possibilidade de, no futuro e após mais análises com um maior número de pacientes, termos um diagnóstico rápido, em conta e menos invasivo”, finaliza o pesquisador.