Tuberculose volta a crescer no Brasil e exige atenção


Poucas doenças são tão assustadoras quanto a tuberculose. Mesmo que sem a letalidade que a tornou conhecida em todo planeta em séculos passados, a enfermidade continua com números alarmantes, que atingiram recordes históricos nos últimos anos, e exige muita atenção. Anualmente, mais de 70 mil pessoas são diagnosticadas com tuberculose no Brasil, cerca de 4,5 mil desses casos acabam em óbito. De acordo com o Ministério da Saúde, em 2017 foram 73,2 mil infecções, uma média de mais de 200 por dia. Segundo estudos recentes que levaram em consideração centenas de amostras da bactéria “Mycobacterium Tuberculosis”, causadora da doença, ela surgiu na África há 70.000 anos – e possui uma trajetória evolutiva parecida com a dos seres humanos.

A tuberculose é tão perigosa pela sua elevada capacidade de infectar os pulmões, além de outras partes do corpo humano, entre elas ossos e sistema nervoso. De acordo com especialistas, 10% das pessoas infectadas vão desenvolver a forma ativa e contagiosa da doença em algum momento da vida. A transmissão ocorre de forma direta, ou seja, de um doente ao outro, principalmente pela via respiratória, ao falar, espirrar e, principalmente, ao tossir. A estimativa é que, em um ano, um indivíduo infectado pode contaminar, em média, de 10 a 15 pessoas. Essas bactérias podem se depositar em roupas, lençóis, copos e outros objetos.

O médico Aier Adriano Costa, do aplicativo Docway, lembra que o principal sintoma da doença é a tosse. "É recomendado que as pessoas que estejam com tosse há três semanas ou mais procurem um médico para que o caso possa ser investigado e a suspeita da doença afastada. Em casos positivos, a doença pode ser tratada corretamente", diz o especialista. Existem ainda outros sintomas que podem aparecer além da tosse, como a febre vespertina, sudorese noturna, emagrecimento e cansaço/fadiga.

Poucas doenças são tão assustadoras quanto a tuberculose. Mesmo que sem a letalidade que a tornou conhecida em todo planeta em séculos passados, a enfermidade continua com números alarmantes, que atingiram recordes históricos nos últimos anos, e exige muita atenção. Anualmente, mais de 70 mil pessoas são diagnosticadas com tuberculose no Brasil, cerca de 4,5 mil desses casos acabam em óbito. De acordo com o Ministério da Saúde, em 2017 foram 73,2 mil infecções, uma média de mais de 200 por dia. Segundo estudos recentes que levaram em consideração centenas de amostras da bactéria “Mycobacterium Tuberculosis”, causadora da doença, ela surgiu na África há 70.000 anos – e possui uma trajetória evolutiva parecida com a dos seres humanos.

A tuberculose é tão perigosa pela sua elevada capacidade de infectar os pulmões, além de outras partes do corpo humano, entre elas ossos e sistema nervoso. De acordo com especialistas, 10% das pessoas infectadas vão desenvolver a forma ativa e contagiosa da doença em algum momento da vida. A transmissão ocorre de forma direta, ou seja, de um doente ao outro, principalmente pela via respiratória, ao falar, espirrar e, principalmente, ao tossir. A estimativa é que, em um ano, um indivíduo infectado pode contaminar, em média, de 10 a 15 pessoas. Essas bactérias podem se depositar em roupas, lençóis, copos e outros objetos.

O médico Aier Adriano Costa, do aplicativo Docway, lembra que o principal sintoma da doença é a tosse. "É recomendado que as pessoas que estejam com tosse há três semanas ou mais procurem um médico para que o caso possa ser investigado e a suspeita da doença afastada. Em casos positivos, a doença pode ser tratada corretamente", diz o especialista. Existem ainda outros sintomas que podem aparecer além da tosse, como a febre vespertina, sudorese noturna, emagrecimento e cansaço/fadiga.